Você se considera uma pessoa compulsiva?


     Comprar, comprar e comprar! Quem é que não gosta de ir em uma loja e comprar aquele sapato/sandália/bolsa que você adorou ou até mesmo um celular novo que acabou de entrar em linha e que você não vê a hora de estar com ele em mãos. E ir ao shopping fazer aquelas comprinhas básicas, ao menos para comprar uma camisa/short ou qualquer acessório que sacie sua vontade de comprar, quem nunca? Eu por exemplo, é difícil ir ao shopping ou ao centro fazer algumas compras, mas quando eu realmente vou não tem como eu não trazer algo. 

     Outra, tenho também sempre a vontade de querer comprar algo novo ou coisa assim que não precisa comprar mas que me deu aquela vontade de comprar pela beleza ou funções. Acreditam que já comprei coisas que até hoje se encontram guardadas no meu guarda roupa e que eu nunca usei? Sinistro isso, não? Mas para isso tudo que acontece tem um nome especial, pessoas compulsivas, que querem sempre comprar e comprar. Lembrou de alguém? Para aqueles que lembraram da Helô de (Avenida Brasil) acertaram em cheio, ela era um exemplo do que acontece com muitas pessoas compulsivas hoje em dia, compram algo só pela vontade ou para manter guardado. Entenda logo abaixo mais sobre o que é pessoas compulsivas por compras e o que leva a fazerem isso.

     Com base em estudos americanos, o comprar compulsivo só passou a ser tratado como doença recentemente. Considera-se que uma pessoa é compradora compulsiva quando, em determinado momento, começa a contabilizar prejuízos financeiros, pessoais e de relacionamento provocados pelo descontrole nas compras. Embora as pesquisas mostrem que quase todo o mundo, de vez em quando, compra por impulso, porque comprar por impulso faz parte da natureza humana, o comprador compulsivo não cede a essa pressão eventualmente. Cede sempre, em especial se estiver dominado por sentimentos negativos, entristecido, com baixa autoestima e dificuldade de relacionamento. Em geral, são mulheres que vão ao shopping  e começam a comprar sem controle. Às vezes, saem de casa pensando em adquirir determinado produto, mas entram nas lojas e não resistem ao apelo de comprar outras coisas. O interessante é que não compram só para si. Se a abordagem do vendedor for eficiente, sairão da loja carregadas de presentes e, quando alguém reclama que estão gastando muito dinheiro, argumentam “Não seja ingrato. Você se esquece de quantos presentes lhe comprei”.
     Na verdade, os shoppings favorecem esse tipo de comportamento pelo número e diversidade de lojas que oferecem agrupadas num mesmo espaço. Além disso, contar com cartões de crédito e poder parcelar os pagamentos funcionam como atração e incentivo para novas compras.

     E ai, deu pra entender mais ou menos como funciona essa tal "doença". E você, se considera uma pessoa compulsiva? Conte aqui pra gente.
 photo Jeff_zpsc3a45ad5.png

Um comentário:

  1. Já me considerei uma pessoa bem compulsiva. Hoje em dia controlo mais essa minha vontade de comprar algo que não é necessário. É muito bom você saber gastar na medida certa. No final do mês ainda rola aquela graninha extra que foi para o cofrinho rs. Gostei do post. Beijos

    www.taynnarodrigues.blogspot.com.br

    ResponderExcluir